Manifesto da advocacia brasileira por eleições diretas na OAB

 
 

A história da Ordem dos Advogados do Brasil se confunde com a história da democracia no Brasil. Criada em 1930, já nos seus primeiros anos de existência a OAB combateu a ditadura do Estado Novo, até a redemocratização do País em 1946.

Eleger o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil é um anseio dos mais de 1 milhão e 200 mil advogados e advogadas inscritos na OAB. Por isso, iniciamos o movimento Quero Diretas na OAB, conclamando toda a advocacia brasileira a aderir a esta campanha. A advocacia ajudou a escrever a Constituição Democrática de 1946. No período da ditadura instaurada a partir de 1964, não foi diferente: as vozes da advocacia resistiram contra o arbítrio e foram decisivas para a redemocratização do País em 1985. Novamente, em 1988, os advogados e advogadas brasileiros tiveram protagonismo na redação da Constituição cidadã, inserindo nela, como cláusulas pétreas, a garantia das liberdades e da igualdade.

Nas veias de advogados e advogadas brasileiros corre o sangue democrático, a convicção de que a melhor forma de escolher os destinos de uma nação, de uma classe, de um grupo associativo é aquela feita diretamente pelo seu povo, pelos seus integrantes por meio do sufrágio universal.

O voto direto na OAB torna toda a advocacia partícipe ativa da definição dos rumos de sua instituição.

Quer a advocacia brasileira que seu batonier seja escolhido a partir do amplo debate com a classe, da discussão de propostas, de projetos e da pauta que orientará sua gestão, identificada com os anseios da base da classe.

Ainda que o sistema de escolha indireta não possa ser considerado, por si só, como antidemocrático, ele distancia os candidatos da base da advocacia, impedindo o debate de caráter geral, concentrando a eleição na conquista de votos das bancadas de conselheiros federais, reduzindo o ambiente ideal de uma eleição, em que os liderados podem conhecer previamente quem os liderará e quais são seus propósitos.

É chegada a hora de dar concretude ao discurso do voto direto como expressão legítima da democracia, também no Conselho Federal da OAB. Os advogados e advogadas brasileiros querem escolher o seu batonier, relembrando o histórico compromisso da advocacia transmitido pelas palavras de seu patrono, Ruy Barbosa:

“Aqui não se chora. Aqui se reage. Aqui não se alçam bandeiras de lágrimas. Desfralda-se a bandeira da luta e da liberdade. A que me está nas mãos, é a mesma de 1874, a mesma de 1888, a mesma de 1889, a mesma de 1893, a mesma de 1910, a mesma de 1916, a mesma de 1919; uma só, bandeira de cem batalhas, muitas vezes atraiçoada, mas ainda não vencida: a bandeira do voto livre.”

Em nome da democracia plena, pela DIRETAS JÁ para a escolha da Diretoria do Conselho Federal da OAB.

 

ASSINE NOSSA LISTA

 

#Quero Diretas na OAB


11,328 assinaturas

Compartilhe com seus amigos:

   

 

 

COMPARTILHE

COMPARTILHE